PESSOAS MAIS DO QUE ESPECIAIS...

Pages

13 de abr de 2012

.


TÔ BÃO NÃO...
Diz a mitologia judaica que Deus criou o mundo em 6 dias.
Foi assim.
No primeiro dia, Deus cria o céu e a terra, mas não vê que é bom porque tudo ainda está escuro. Então separa a luz das trevas "e vê que é bom". Cria o firmamento para separar "as águas de baixo" das "águas de cima" "e vê que tudo é muito bom".
No segundo dia, Deus separa as terras dos mares "e vê que é bom"; cria as plantas "e vê que é bom".
Dia 3 Deus cria o sol e a lua "e vê que é bom".
Dia 4, cria os peixes e as aves... "e vê que é bom".
No quinto dia, Deus cria os animais terrestres "e vê que é bom". Cria o homem e a mulher, completa a obra "e vê que é muito bom". Aliás isso foi ótimo...!
No 6º dia Deus descansa. Originalmente o dia do descanso é sábado.

Então num sei qual foi o excomungado, o infeliz que arrumou um jeito de colocar um 7º dia numa semana que já estava “perfeita”. Com certeza isso foi obra de alguém com mania de grandeza... provavelmente um americano (sempre eles!)
Puxa vida... pense comigo: estava tudo em paz... tudo “belezinha”, como dizem os mineiros daqui, mas não... tinha que aparecer um aloprado infeliz, com idéia de jirico, prá fazer essa cagada.
Agora, socê adivinhar com que nome foi batizado esse “enxertado dia”, ganha uma nécessaire de E.V.A. by Ciranda Cirandinha... (coisdilôco...). TÔ BÃO NÃO.
Você sabia que entre 1919 e 1931, a União Soviética manteve um calendário com semanas de cinco dias, em lugar dos sete dias tradicionais e mundiais? Eram 72 semanas, com mais 5 dias extras (Feriados Nacionais) inseridos entre três das semanas, num total de 365 dias.
Quando foi em 1931 fizeram uma nova mudança, passando para 60 semanas de SEIS dias em cada semana... uma beleza... sendo que o 6º dia era de descanso oficial (como o Domingo). Não existia a понедельник  (segunda feira, em russo).
Embora há muitos que não se revelam, sei que ninguém gosta da segunda feira. Pergunte prá qualquer um...  pergunte, por exemplo, para o Sen. Demóstenes Torres (DEM/GO) se ele gosta da segunda feira... ouça atentamente o que ele tem a dizer sobre isso. TÔ BÃO NÃO, mas tende a ficar pior.
Agora, tem uma coisa: a mais assombrosa, a mais apavorante das piores segundas feiras (felizmente isso só ocorre de seis em seis anos) é quando ela cai numa 6ª feira 13. Aí sim, é um dia apocalíptico.
Num sei se isso também acontece com você, mas comigo as notícias ruins, acidentes, cobradores batendo à porta, gerente do banco me ligando e pedindo “prá dar uma passadinha” na agência prá cobrir a tal da conta devedora, fatalmente isso só ocorre nas segundas feiras.Coisdilôco e TÔ BÃO NÃO.
Essa viagem que empreendi a Cuiabá, foi catastrófica.
Foi numa s%$#@  f}]º/?!@...
Minha sogra não parou de falar um minuto sequer (contou-me sua vida inteirinha...), só se calando quando a gasolina acabou e eu, “gentilmente”, pedi-a que fosse até o posto de combustível mais próximo buscar uns 30 litros de gasolina. O posto mais próximo estava a 15km de distância... e eu fiquei lá... sozinho... e no sol... esperando a sogrinha voltar. TÔ BÃO NÃO.
Chegando a Cuiabá, fui todo feliz fazer a devolução da sogra... foi uma verdadeira festa (para mim, claro...).
Aproveitei para rever amigos e parentes e voltar a sentir aquele “calorzinho”...  aquele solzinho abrasador torrando no lombo e na careca que, acredite, beirava os 38º. Coisdilôco.
Na semana seguinte estaria de volta a Cambuí mas, antes que isso ocorresse, alguns amigos marcaram um jantar de despida. Iríamos comer um “chambão de vitela”, à moda italiana, no restaurante “O Mural”.
O “chambão de vitela”, para quem não conhece, nada mais é do que o “ossobuco” na nossa culinária. É a parte da perna, excluindo os músculos posteriores, que é cortada às rodelas juntamente com os ossos. Cada rodela tem no centro um bocado de osso em forma de tubo. No "buraco" encontra-se o tutano que não deve ser retirado. É um prato rico em matéria gelatinosa. Então “ossobuco” é igual a “osso com buraco”.
Reunida toda a gang turma, marcamos então o dia do nosso jantar.
ADIVINHA...!!!
Pois foi...
Roguei que fosse num domingo, mas o “Mural” não abria aos domingos...  que fosse então no sábado... mas alguns já tinham compromissos assumidos...
Eu voltaria na 3ª feira, então só poderia ser na... putz! Concordei desolado como um animal vai ao abate.
Chegou o dia... acordei costumeiramente às 5:00 (da tarde)... restaurante lotado... uma suave musica italiana no ar e um cheiro gostoso que só fazia aumentar o apetite. Juntaram-se mesas para que comportássemos todos; 8 comensais.
A receita do “chambão de vitela” leva vinho branco (ou do porto), cenoura, aipo, cebola, bacon, caldo de carne, tomate, alho francês e outras ervas aromáticas. Uma coisdilôco! Serve-se acompanhado de arroz branco (alguns preferem risoto).
Depois de algumas taças de vinho, serviram o trem. TÔ BÃO NÃO, mas tá ficando mio...
Me serviram duas generosas “rodelas” de osso (hummmm.....), regado com aquele caldo bem apurado (hummmmmmm....), alguns legumes (via-se o aipo, a cenoura...   hummmmmmmmmm........).
Entre conversas jogadas fora daqui e alguns causos dalí... dou uma espiada por dentro do meu ossobuco e percebo que um cubo enorme de bacon ficou entalado dentro dele. Tentei (juro que tentei) de todas as maneiras retirar aquela guloseima com o garfo, com a ponta da faca, com um “palitím”... tudo muito discretamente, claro. Mas o osso estava ganhando de mim por uns 4 a zero. Comecei a ficar impaciente com aquela teimosia e, muito disfarçadamente, olhei para um lado... olhei para o outro... e peguei o rapaz com a mão descendo-o à altura do colo.
Protegido pela toalha, fui enfiando o dedo indicador da mão direita tentando romper o cobiçado pedaço de bacon lá de dentro.
Meninas... o que 4 taças de vinho não fazem com um rapaz sério como eu.
Como quem não quer nada, continuei conversando animadamente com um e outro, enquanto as mãos operavam avidamente a fim de obter o prêmio: o bacon! Era uma  questão de honra.
O dedo foi entrando... foi entrando... foi ficando apertado... fui fazendo força... até que senti que venci a parada. O bacon saiu!... mas meu dedo ficou entalado.
Comecei desesperadamente a fazer um movimento inverso para desatolar o dedo do osso, mas ele entrou como um anel num dedo gordo.
Vi o vidro de azeite sobre a mesa, e não pensei duas vezes...
No momento em que consegui pegar o vidro (eu ia jogar o azeite no dedo), ví que uma senhora estava observando todo aquele meu movimento indecoroso... e ainda ia jogar azeite.
Nessas horas é que você percebe como a s*#@&  feira é vingativa...
Desci com azeite e, meio que sem rumo, derramei dedo afora...
Menina... o trem tava feio.
Alguns amigos começaram a me notar meio diferente... movimentando muito com as mãos ao colo e ficando cada vez mais vermelho... (desesperado), enquanto a senhora ao lado não tirava os olhos de mim.
Pensei comigo: “É agora ou nunca!”. Dei um puxão tão forte que o pedaço de osso finalmente desencapou do meu dedo, mas saiu batendo pelo piso afora num tec... toc... tlec... tloc... sem fim. TÔ BÃO NÃO e num sabia que um pedacim de osso pudesse fazer tanto barulho assim...
Todos pararam e me olharam assustados sem entender o que tinha acontecido, foi quando eu levantei as mãos e fiz um sinal de que estava tudo bem...  tudo bem que nada. Menina..., quando olhei para o meu dedo... parecia que ele tinha sido desencapado da pele e se assemelhava algo a uma cenoura, toda lubrificada... TÔ BÃO NÃO.
Neste momento arrependi por não ter escolhido ir a um restaurante japonês. Quem sabe comer sushi de pão de queijo com recheio de bacalhau não seria uma coisa menos perigosa (pelo menos para o dedo, não sei o que seria para o estômago).
Para mim o jantar acabou ali.
Quando levantamos para irmos embora, percebi que aquela senhora ainda me olhava “aguçadamente” (não sei se era minha impressão, mas parecia que também dava alguns suspiros...).
Levantei,  com a calça toda molhada de azeite... com o dedo de cenoura, que nessas alturas já tinha dobrado de tamanho e agora estava mais parecido a uma salsicha... e o pior de tudo: sem comer o desgraçado do cubo de bacon.
Saí sem olhar para trás... de vergonha.
Mas isso são coisas que só acontecem nas...... 
TÔ BÃO NÃO.

Beijão doce procê e tenha uma semaninha de muita luz e trabalho profícuo.
õ[õ Jota-A

























































Nenhum comentário: